Home A Top A CYPE Produtos Serviços Ensino Superior Contactos
PRODUTOS
CATÁLOGO
Lajes pós-tensionadas para edificação

O módulo Lajes pós-tensionadas para edificação, foi concebido para realizar o dimensionamento das armaduras passivas de lajes pós-tensionadas após cálculo dos esforços dos cabos de pós-tensão (aderentes ou não aderentes) e cujas características são introduzidas pelo utilizador.

Neste módulo, é abordado tanto a tecnologia de cabos aderentes como a de cabos não aderentes, com as especificações habituais utilizadas em edifícios, que no âmbito de vãos e cargas comuns para as utilizações normais de habitações, escritórios e locais comerciais, é o campo natural de aplicação do presente módulo.

No caso de cabos não aderentes, a ação do pré-esforço será considerada diretamente através das ações nos extremos do cabo e das forças de desvio, razão pela que o programa a considera diretamente no dimensionamento da armadura passiva. Para cabos aderentes, além disso, será tido em conta a contribuição da capacidade remanente ou restante da armadura ativa, descontando-a para determinar a armadura passiva.

Não é considerado o efeito das compressões e dos possíveis encurtamentos, nem o efeito de retenção dos pilares, já que as lajes mantêm a ação de diafragma rígido, tanto para obter os esforços como no dimensionamento e verificação de tensões de compressão e tração e do estado de fendilhação.

Em princípio, costuma ficar do lado da segurança não considerar as compressões, ao ser normalmente o seu efeito favorável, desprezando também o efeito dos encurtamentos da laje no seu plano devidos às cargas introduzidas pelos cabos, cuja influência é reduzida e pode inclusivamente ser benéfico para o dimensionamento dos pilares, sempre que a sua rigidez e distribuição favoreçam este efeito.

Fica ao critério do utilizador a consideração adicional do efeito das compressões no dimensionamento, dos encurtamentos e dos esforços induzidos nos restantes elementos estruturais, não considerados no CYPECAD.

Os dados gerais que são solicitados permitem abordar de uma forma geral as tecnologias presentes no mercado, sendo facilitados pelo utilizador os dados relativos ao limite de rotura e limite elástico do aço ativo, as suas perdas para estimar a carga aplicada aos cabos, propondo o traçado em alçado dos cabos para poder determinar as forças de desvio aplicadas sobre a laje na ação de pós-tensão.

As lajes pós-tensionadas proporcionam vantagens tais como a redução da fendilhação, o aumento da resistência à flexão, ao esforço transverso e punçoamento, e a redução de alturas e de flechas e, portanto, de emissões de CO2. Como inconvenientes, poderíamos considerar o necessário controlo dos recobrimentos e dos possíveis cruzamentos não previstos, as deformações diferidas, os encurtamentos no seu plano e a retenção provocada pelos pilares, dependendo da sua rigidez e distribuição e da ordem do processo construtivo.

Em termos de ancoragens o programa permite a introdução de ancoragens ativas ou passivas, bem como definir em planta a ordem de tensionamento das ancoragens ativas.

Geração automática das cargas de desvio provenientes do traçado parabólico do cabo.

O programa gera listagem com as características da pós-tensão introduzida pelo utilizador e os dados calculados para cada um dos grupos de plantas onde foram introduzidos cabos de pós-tensão.

O programa gera os desenhos de cada grupo de plantas com cabos pós-tensionados, um para os cabos longitudinais e outro para os cabos transversais. Nestes desenhos representa-se em planta o traçado dos cabos e neles indica-se, a cada metro, a distância do cabo à base da laje nesse ponto.

O CYPECAD inclui na exportação para o formato IFC (Industry Foundation Classes) os cabos das lajes pós-tensionadas.


       

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saber mais  OK